Canteiro dos girassóis

Desvelando o sol poético.

Textos



CAFÉ COM CHANTILLY

Guida Linhares


José e Maria são namorados!
Conheceram-se ao acaso,
no ocaso da vida.

José com seus 75 anos
vividos com exuberância,
sustentava uma alegria contagiante.

Maria, 65 anos arrastados,
entre altos e baixos, mais pra baixos,
a deixaram de mal com a vida.

Quando se conheceram, se detestaram!
Ela o achava convencido demais,
ele a achava enjoada pra caramba.

Mas como frequentavam o mesmo baile,
aqueles bons encontros da melhor idade,
ele só pra chatear, a tirava pra dançar!

E lá iam os dois quase à distância,
porque até o perfume dele a irritava,
mas mesmo assim ela não o recusava.

E assim, numa música mais romântica,
José a apertou com mais força,
e as polaridades se acenderam!

Nem Maria o empurrou e
José se viu pensando...hum que bom,
até que ela é gostosona!

Acabada a última música,
José a convidou a ir ao shopping,
tomar um café com chantilly.

Ela nem pensou duas vezes
e respondeu que era a bebida predileta!
Coração conquistado, José sorriu!

Aquele sorriso interno que os homens
não admitem, mas que os deixam nas nuvens.
Shopping lotado, mesinhas cheias!

Encostaram no balcão e pediram os cafés,
que vieram fumegantes.
Olhos nos olhos, saborearam a delícia!

Pela primeira vez na vida,
Maria lembrou-se da mulher interior,
que havia sufocado por tantos anos.

Pela primeira vez na vida,
José viu uma mulher com olhos de amor.
Estendeu a mão e lhe disse assim:

- Maria, teus olhos de amor me chamam,
vamos nos dar mais uma chance, amar de novo?
- Quer ser minha namorada?

Maria ficou tão surpresa,
que a xicara caiu no chão, uma confusão!
E ali mesmo, José a beijou cheinho de emoção.

***

Esta estória é real e os personagens verdadeiros.
Às vezes, as pessoas de mais idade pensam que é tarde demais
para voltar a se encantar, se apaixonar, amar de novo.
Porém perdem uma grande chance de vivenciar
um dos melhores momentos da maturidade,
com a plenitude amorosa.

***

Santos, SP
08/12/06

Respeite os direitos autorais.

***

Letra da música

Epitáfio

Sérgio Britto
Interpretação > Titans

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o Sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Devia ter aceitado as pessoas como elas são
A cada um cabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o Sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor
Devia ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe a alegria e a tristeza que vier


***

A música acompanhou a msg formatada aos grupos do yahoo.
guidalinhares@gmail.com




Guida Linhares
Enviado por Guida Linhares em 09/12/2006
Alterado em 19/07/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Guida Linhares www.guidalinhares.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras