Canteiro dos girassóis

Desvelando o sol poético.

Textos


Os anos passam rapidamente e de repente o que vemos no espelho não é mais aquela jovem figura, cheia de ilusões e esperanças, mas sim um rosto marcado pelas linhas de expressão e rugas, demarcando o território da idosidade, carregando uma bagagem de vivências e experiências, que podem ter sido boas e/ou ruins, mas todas de uma significativa importância.
Não queremos dizer que a idade avançada não possa ter os seus encantos, algumas ilusões ainda não experenciadas, e nem se pode prescindir da esperança, motor que alavanca cada hora da nossa existência.
Não sei se a vida se torna um continuo relicário de sonhos, alguns realizados outros ainda não, mas percebo que depois dos tantos anos, mister se faz rever conceitos, e ter um novo olhar para a velhice, tão decantada por todos e nem sempre bem aproveitada por muitos.
Das verdades absolutas, nascimento e morte são passagens obrigatórias, sem bilhete de volta, na grande viagem humana.
Quiçá possamos ser bons passageiros, observadores atentos, estimulando cada passo nosso e estendendo a mão para todos aqueles que encontrarmos pelo caminho, afinal nascemos e morremos sós, mas precisamos de companhia durante o trajeto, porque o outro tanto pode ser nosso arrimo quanto o nosso espelho.

Guida Linhares

<><><>
Guida Linhares
Enviado por Guida Linhares em 21/11/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Guida Linhares www.guidalinhares.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras